Nivelamento de Recursos

O PMBOK (2009) prevê como insumo para montagem do cronograma:

– WBS
– Dicionário da WBS
– Quantidade de Recursos
– Estimativa das Atividades
– Diagrama de Rede

O terceiro item, quantidade de recursos, é calculado por muitos gerentes de projeto apenas de maneira isolada atividade por atividade, e não em uma abstração macro do projeto como um todo.

Esse fato acarreta a super-alocação de recursos em determinados períodos do projeto. Quando o gerente de projeto olha apenas para a atividade, passa despercebida a quantidade de recursos que aquelas atividades juntas estão demandando, principalmente quando essas estão sendo executadas em paralelo. Em uma análise de alto nível no cronograma, pode-se chegar à conclusão que, em determinado período, o projeto não possui tantos recursos como planejado, nem verba suficiente para tantas horas extras como previsto.

Na análise simplista de atividade por atividade, essas conclusões nunca seriam obtidas.

Então há duas possibilidades:

– Contratar mais recursos para as demandas nos períodos críticos

ou

– Nivelar os recursos

O Nivelamento de Recursos, em inglês chamado de Resource Leveling, é uma técnica que evita a super-alocação dos mesmos. Recursos são retirados de atividades não criticas e alocados em atividades criticas. Porém, apesar do nivelamento garantir que os recursos não estejam super-estimados, evitando picos, o método normalmente aumenta o prazo do projeto. Sendo assim, análises de custos e prazos devem ser feitas antes do nivelamento e verificadas novamente após a aplicação do método.

Como exemplo, podemos citar um caso do livro “Certificação PMP, de Armando Monteiro, Segunda-Edição – Editora Brasport”:

Antes do nivelamento:

1) Primeira Semana – 2 recursos
2) Segunda Semana – 4 recursos
3) Terceira Semana – 8 recursos
4) Quarta Semana – 2 recursos

Após o nivelamento:

1) Primeira Semana – 2 recursos
2) Segunda Semana – 4 recursos
3) Terceira Semana – 4 recursos
4) Quarta Semana – 4 recursos
5) Quinta Semana – 2 recursos

Percebe-se que o projeto nivelou os recursos, mas o prazo foi aumentado em uma semana. Supondo que o projeto disponha apenas de 4 recursos trabalhando juntos, o nivelamento resolveria o problema de ter 8 recursos na terceira semana, mas o prazo seria afetado.

Muitos gerentes de projeto, erroneamente, fazem o nivelamento já na fase de execução, quando percebem que não possuem tantos recursos como planejado no cronograma. E após a aplicação do método, chegam à conclusão que precisam renegociar o prazo com o cliente, pois os picos de super-alocação foram pulverizados e assim o tempo estendido.

O Nivelamento de Recursos é muito pouco utilizado em softwares de gestão de projetos, mas a aplicação existe nas ferramentas. O Microsoft Project, por exemplo, possui a opção da ação de nivelamento. Em um segundo o cronograma pode ser nivelado.

A técnica aborda situações em que recursos necessários ou compartilhados estão disponíveis somente em determinados períodos ou em quantidades limitadas. Sendo essa a realidade de praticamente todos os projetos, o Nivelamento de Recursos se torna fundamental para um bom plano de gerenciamento de tempo.

Clay Susini é Gerente de Projetos, Consultor em TI e na Área Financeira
[email protected]

Leave a Comment (0) ↓