Técnicas Para Levantamento de Requisitos

Caros amigos. Hoje iremos falar um pouquinho sobre técnicas para levantamento de requisitos, uma etapa muito importante no desenvolvimento de nossos projetos, pois um bom levantamento de requisitos poderá nos poupar tempo e dinheiro no decorrer do projeto.

Abaixo, segue uma breve descrição das principais técnicas para levantamento de requisitos, e uma descrição das mesmas.

Entrevistas e Questionários

Esta é a técnica mais simples e eficaz, é muito utilizada na fase inicial do levantamento de requisitos, o sucesso desta técnica é atrelada à alguns fatores.

  • Influência do entrevistador nas respostas do cliente: convém que o entrevistador dê margem ao entrevistado para expor as suas ideias sem as contestar logo no inicio.

  • Relação pessoal entre os intervenientes na entrevista.

  • Predisposição do entrevistado: caso, por exemplo, o papel do entrevistado venha a ser afetado pela introdução de um sistema na organização, este pode propositadamente dificultar o acesso à informação.

  • Capacidade de seguir um “plano” para a entrevista: na ausência destes planos é natural que haja tendência para que os intervenientes se dispersem um pouco, levando a que a entrevista demore mais tempo do que seria suposto. Caso a entrevista se torne demasiado longa, as pessoas podem cair na tentação de “querer despachar” sendo os últimos pontos da entrevista abordados de forma superficial (ou podem nem chegar a ser abordados).

Workshops de requisitos

§  O Workshop de Requisitos consiste numa técnica usada através de uma reunião estruturada, da qual devem fazer parte um grupo de analistas e um grupo representando o cliente, para então obter um conjunto de requisitos bem definidos. Ao contrário das reuniões, promove-se a interação entre todos os elementos presentes no workshop fomentando momentos de descontração como forma de dinamizar o trabalho em equipe, existindo um facilitador neutro cujo papel é conduzir a workshop e promover a discussão entre os vários intervenientes (ainda que não tenha realmente poder de decisão). As tomadas de decisão devem seguir processos bem definidos e devem resultar de um processo de negociação, mediado pelo facilitador. Uma técnica que é também útil em workshops é o uso de brainstorming (tempestade de idéias) como forma de gerar um elevado número de ideias numa pequena quantidade de tempo. Como resultado dos workshops deve ser produzida documentação que reflita os requisitos e decisões tomadas sobre o sistema a implementar. É importante que esta técnica, não seja utilizada sozinha, pois a informalidade do Workshop poderá deixar alguns detalhes dos projetos escapar.

Cenários

  • Uma forma de levar as pessoas a imaginarem o comportamento de um sistema é o uso de cenários. Através de exemplos práticos descritivos do comportamento de um sistema, os seus utilizadores podem comentar acerca do seu comportamento e da interação que esperam ter com ele. Trata-se de uma abordagem informal, prática e aplicável a qualquer tipo de sistema. De um modo geral, os cenários devem incluir os seguintes elementos:

  • Estado do sistema no início do cenário.

  • Sequência de eventos esperada (na ausência de erros) no cenário.

  • Listagem de erros que podem ocorrer no decorrer dos eventos do cenário e de como estes erros serão tratados.

  • Outras atividades que podem ser executadas ao mesmo tempo que as deste cenário.

  • Estado do sistema depois de o cenário terminar.

Prototipagem

O uso de prototipagem é feito em diversas fases do processo de engenharia de requisitos (por exemplo na identificação, análise e validação). Trata-se de uma versão inicial do sistema, baseada em requisitos ainda pouco definidos, mas que pode ajudar a encontrar desde cedo falhas que através da comunicação verbal não são tão facilmente identificáveis. Neste tipo de abordagem apenas são desenvolvidas algumas funcionalidades sendo normalmente desenvolvidas primeiro aquelas que são mais fáceis de compreender por parte do utilizador e que lhe podem trazer maior valor acrescentado (principalmente na prototificação evolutiva, isto é, aquela que mais tarde é evoluída para a fase de desenvolvimento). O uso de protótipos deve ser considerado apenas mediante uma análise custo-benefício, já que os custos de desenvolvimento de um protótipo podem facilmente crescer, sendo particularmente úteis em situações em que a interface com os utilizadores é, para eles, um aspecto crítico.

Estudo etnográfico

Os Estudos Etnográficos é uma análise de componente social das tarefas desempenhadas numa dada organização. Quando um dado conjunto de tarefas se torna rotineiro para uma pessoa, é de se esperar que esta sinta dificuldade em articular todos os passos que segue ou todas as pessoas com as quais interage para as levar a cabo. Através de uma observação direta das atividades realizadas durante um período de trabalho de um funcionário é possível encontrar requisitos que não seriam observáveis usando técnicas convencionais. Esta observação pode ser acompanhada de registros áudio/vídeo, porém não convém usá-los em demasia visto que o tempo necessário para os processar pode ser demasiado. Nesta técnica assume-se que o representante do cliente observado desempenha as suas funções “corretamente”, pelo que convém ter algum cuidado na escolha do mesmo.

Em breve, você contará com várias novidades

Fonte de Pesquisa:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#T.C3.A9cnicas_para_levantamento_de_requisitos  – 2010-07-09 – 20:49:44

Leave a Comment (0) ↓