Poder: para o bem ou para prejudicar

Existem vários tipos de poder: poder do cargo que se ocupa em uma organização, poder de influenciar pessoas para um objetivo comum (ou desviá-lo dele), poder da negociação bem direcionada (onde todos ganham e são beneficiados), poder de conhecimento e outros que podem fazer uma organização e os projetos fluírem ou serem um grande peso. Tive uma experiência dramática com a responsável pela área em que trabalhava em uma agência digital.

Eu havia terminado o layout para um cliente bem no prazo determinado. Feliz pela conquista, apresentei o resultado final para a responsável pela minha área. Logo ouvi uma crítica pessoal com relação ao meu trabalho:

– Tem cinza. Não gosto de cinza! Mude esta cor.

Tentei explicar o motivo do uso do cinza na composição do layout do site do cliente:

– O cinza ajuda a dar foco em outras partes do site do cliente que são importantes para o negócio dele.

– Não gosto de cinza, mude a cor ou não irei apresentar para o cliente.

Neste momento resolvi apelar e utilizar o poder de negociação para não perder todo o trabalho desenvolvido:

– Vamos fazer o seguinte: apresente o layout ao cliente e, se ele não gostar, eu mudo para o jeito que você deseja – pois sabia que seria aprovado.

A proposta foi aceita na hora e sem relutância. Enviei o layout por e-mail e rapidamente ela telefonou ao cliente. Após alguns minutos ouço a seguinte conversa:

– Você gostou do layout?! É mesmo?! Que bom! E o que você achou da cor de cinza no layout? Você não acha que poderíamos mudá-la? O que eu acho, bem, eu não gosto do cinza e acho que poderíamos utilizar uma outra cor. Você não acha a mesma coisa? Ah, sim, então vou pedir para mudar agora mesmo.

– Éber, conversei com o cliente e ele pediu para você mudar a cor cinza para outra.

Pasmo. Fiquei pasmo em perceber que pouco importava a economia de energia para atender a necessidade do cliente só para atender a um gosto pessoal. Interesses conflitantes é um dos problemas mais recorrentes durante o desenvolvimento de um projeto. Muitas empresas, e pessoas diretamente relacionadas a projetos, perdem dinheiro e deixam de atender aos prazos para satisfazer interesses estritamente pessoais.

O uso do cargo como poder não é para aumentar o escopo do projeto, mas para ser um facilitador ao negociar com o cliente.

Em breve, você contará com várias novidades

Leave a Comment (0) ↓