Author Archive

Gerenciando por tendências: Matemática, estatística e conhecimento

Muito se fala em gerenciamento por tendências, mas o que é isso? Vou tentar dar uma resposta bem direta e resumida. Gerenciar por projetos nada mais é do que o uso objetivo e simultâneo de matemática, estatística e conhecimento do ambiente passado e presente do projeto. Não entrarei no mérito das “fórmulas”, para isso proponho […]

Continue lendo →

Posted in: Gerenciamento de Tempo

Leave a Comment (0) →

É possível avaliar as pessoas segundo Maslow?

Depois de identificar alguns problemas de produtividade e de qualidade no trabalho, passei o último mês fazendo um exercício mental para avaliação de alguns colaboradores. Basicamente, procurei associar a postura de cada um à “Teoria de Maslow”. Abraham Maslow propõe que as necessidades humanas estão agrupadas em cinco categorias ordenadas hierarquicamente, à saber: 1) Necessidades fisiológicas: Pessoas precisam […]

Continue lendo →

Posted in: Gerenciamento de Recursos Humanos

Leave a Comment (0) →

Gerente de Projetos e Gerente de Ferramentas

Há uma questão que gostaria de levantar. Talvez,  o termo nem exista, ou caso exista tenha uma outra conotação, é o “Gerente de Ferramentas”. O que observo que vem acontecendo constantemente é o fato de pessoas que dominam ferramentas de gerenciamento de projetos, como MS-project, Primavera, Crystalball e etc. Estão cada vez mais se denominando (ou sendo denominadas) […]

Continue lendo →

Posted in: Gerenciamento de Integração

Leave a Comment (0) →

O Feedback como ferramenta para lições aprendidas

Todos nós sabemos a dificuldade que enfrentamos para obter um “relatório” de lições aprendidas, afinal, todo mundo sempre acha que ele será, de certa forma, um relatório de desempenho, portanto tendemos a desconsiderar um erro nosso, e apenas citamos erros dos outros (preferencialmente  que tenham sido corrigidos por nós). Afinal, quem gosta de errar e ainda […]

Continue lendo →

Posted in: Gerenciamento de Integração

Leave a Comment (0) →

Até onde decompor?

Sabemos que uma boa WBS (EAP) é um elemento chave para o sucesso do projeto. Através dela, conseguimos controlar todos os itens da tripla restrição (tempo, escopo e custo). Mas até onde devemos decompor? O objetivo da WBS é decompor os pacotes de trabalho até o nível mais facilmente gerenciável, mas qual é esse nível? Existem […]

Continue lendo →

Posted in: Gerenciamento de Escopo

Leave a Comment (0) →

Você dá a atenção necessária aos seus stakeholders?

Você dá a atenção necessária aos seus stakeholders? Uma das tarefas mais importantes (e difícil na mesma proporção), é mapear todas as partes interessadas do projeto. Apenas para que alinhemos a linguagem utilizada, vamos definir como stakeholders, ou partes interessadas, todos aqueles que influenciam ou são influenciados positiva ou negativamente pelo projeto ou resultado dele. […]

Continue lendo →

Posted in: Gerenciamento de Comunicação

Leave a Comment (0) →

Os 42 passos do PMBoK. Quão flexíveis eles são?

Como sempre digo, meu objetivo ao escrever é sempre avaliar se as técnicas, ferramentas e metodologias são aplicáveis, adaptáveis ou flexíveis. Em geral, minha conclusão é que: Como metodologia é composta por um conjunto de técnicas, o gerente de projetos ou o PMO a desenvolve sempre de forma aplicável (Premissa, nem sempre verdadeira, mas procuro […]

Continue lendo →

Posted in: Escritório de Projetos

Leave a Comment (0) →

Qual o nível de maturidade da sua empresa?

Não há mais o que falar sobre a necessidade de se gerenciar projetos, isso já é uma realidade, e certamente empresas que não o fazem estão fadadas ao fracasso. O que faz a diferença é a maturidade que a empresa tem em gerenciamento de projetos. Segundo Harold Kerzner, um dos maiores (ou o maior) especialista […]

Continue lendo →

Posted in: Escritório de Projetos

Leave a Comment (0) →

A satisfação sob o ponto de vista do ambiente de projetos

Não foram poucas as vezes que ouvi falar que uma empresa (principalmente de comercio varejista) “faz tudo pela satisfação do cliente”, ou dos profissionais de marketing que “devemos superar a expectativa do cliente”, ou ainda sob uma visão um pouco mais filosófica “satisfação é algo subjetivo”. Mas e sob a perspectiva do ambiente do projetos? […]

Continue lendo →

Posted in: Engenharia de Requisitos

Leave a Comment (0) →